terça, 08 novembro 2016 15:10

[067.2016] O FUTURO DECIDE-SE HOJE

Hoje, do outro lado do Oceano, os Estados Unidos da América votam no candidato que querem ter como Presidente nos próximos 4 anos. É uma eleição que influenciará o quadro politico internacional. Nenhum dos atuais candidatos é confiável mas, a termos de escolher um, pela minha parte, que vença o Partido Democrata.
O nosso futuro decide-se hoje. Ganhe quem ganhar, o horizonte apresenta-se difuso.

segunda, 07 novembro 2016 20:24

[66.2016] PROVAVELMENTE ...

Provavelmente a flor mais cara do mundo.
Eu concordo mais com quem diz que a kadupul não tem preço. Trata-se duma flor noturna, também denominada por Rainha da Noite, que dura somenta meia de dúzia de horas aberta e ainda ninguém a conseguiu conservar.
Eu pensei fazer um timelapse mas a planta teve a amabilidade de apenas abrir em noites de semana. Para quem gosta de dormir e trabalha é complicado. Fotografei o máximo que pude.
Uma coisa eu afirmo, é mesmo uma Rainha. É linda!

sexta, 04 novembro 2016 15:34

[65.2016] PROMESSA DE CHUVA

Apesar de algumas nuvens, a tarde estava bonita, o Astro Rei reinava e aproximava-se rapidamente do crepúsculo. Mas as nuvens tomaram conta da paisagem, o sol despediu-se com a promessa duma noite com chuva e trovoada.

terça, 01 novembro 2016 20:42

[62.2016] DIA DAS BRUXAS

Ontem foi o dia das bruxas. Confesso que não sou fã destes dias importados mas fazem parte da evolução cultural. Aranhas, abóboras, bruxas são agora parte do imaginário das crianças.

segunda, 31 outubro 2016 21:16

[61.2016] ULTIMO

O ultimo por do sol de outubro e, segundo os meteorologistas, o ultimo dia de calor. Amanhã voltarão as nuvens e a chuva, com elas o frio.

segunda, 31 outubro 2016 20:12

[60.2016] UM

Olhamos sem ver, corremos atrás sem sair do lugar. Quando menos esperamos há algo que desperta os nossos sentidos. Um entre vários que se destaca.

quinta, 27 outubro 2016 19:22

[59.2016] PODE PISAR...

Pode pisar...
... a relva!
Uma das imagens que retenho da primeira vez que visitei Cambridge é de vacas malhadas nos campos verdes à entrada da cidade. E outra imagem que admirei são os jardins e relvados cheios de vida. Amigos, amantes, pais e filhos conversam, riem, brincam ou, simplesmente, aproveitam a liberdade da Natureza.

quarta, 26 outubro 2016 20:50

[58.2916] PRENUNCIO DE TEMPESTADE

Regressamos das viagens mais ricos, novas vivências, novas experiências e vários cartões cheios de fotografias. No meu caso, o numero de fotografias é diretamente proporcional à distância a que estou de casa. Não sei se voltarei, tenho de aproveitar o momento ao máximo.
Destas férias, misturadas com trabalho, trouxe muitas fotografias típicas de turista japonês, aquele que dispara para todos os lados e para tudo, móvel ou imóvel. Foi uma corrida dura, muitos quilómetros percorridos em poucos dias. Ver e rever os pontos principais e seguir para o próximo destino.

Algumas das minhas imagens favoritas foram feitas na berma da estrada, em paragens casuais, entre cidades.

terça, 25 outubro 2016 19:37

[57.2016] NUMA FLORESTA MÍTICA

Sei que precisamos de dinheiro para viver e trabalhamos para ganhar dinheiro. Tudo é relativo, depende do trabalho e depende da vida que queremos viver.
Gosto de viajar e para alimentar este e outros vícios preciso do tal dinheiro mas... valerá a pena abdicar do que gostamos para investir no supérfluo?
De que me serve o luxo dum hotel de 5 estrelas, comer num restaurante com empregados vestidos a rigor se, ao regressar a casa, não tenho tempo para saborear as fotos que fiz. Se, para ganhar uns tostões, vou perder dias consecutivos a trabalhar! Um trabalho sub valorizado e mal pago.
Não, para mim, não vale a pena.
Eu gosto é disto. Fotografar, chegar a casa e brincar com as imagens. Poderei publicar ou não, acima de tudo, divirto-me.

Sendo preguiçosa por natureza, carregar mochilas pesadas com objetivas não é meu apanágio. Quando saio para fotografar levo a câmara e uma objetiva. Esta opção tem a vantagem de educar o olhar e faz-nos pensar e ponderar melhor antes de fazer a fotografia.
A escolha é uma questão de sorte. Se vamos fotografar a árvore centenária do Robin Hood a razão diz-nos para não levarmos a teleobjetiva. Apercebemo-nos que a razão erra quando cruzamos o caminho com um esquilo. Se nos aproximarmos demais, ele foge. Se ficarmos longe, a câmara não o vê. Uma certeza tenho, mesmo que levasse a mochila carregada de equipamento, o esquilo não esperava que eu trocasse de objetivas.

segunda, 24 outubro 2016 20:32

[56.2016] PERDIDA NO CAMPO

Com o ano no ultimo trimestre, consigo voltar às fotos. Após a entrega dum trabalho e com o próximo numa fase adiantada, decidi parar, antes que perca o sentido de ver. Já noto diferença após quase um ano afastada.
Tenho muitas pastas para organizar, várias imagens para ver.

Hoje regresso a uma estrada de campo, uma pequena aldeia do Condado de York. Foram as lajes dispostas no recinto à volta da igreja que nos fizeram parar mas foi esta bicicleta que despertou a minha atenção, pela forma como reflete toda a essência do ambiente que ali senti. Uma aldeia a tentar acompanhar os tempos modernos.

quarta, 07 setembro 2016 19:55

[55.2016] PARA-TRIATLO

Hoje começam as ParaOlimpíadas Rio 2016. Esperemos que lhes seja dada a mesma visibilidade nos media que tiveram os JO há um mês.
Eu faço a minha parte, continuo com fotos de desporto adaptado.

segunda, 05 setembro 2016 13:17

[53.2016] PARA-TRIATLO

O sabor amargo da derrota, após meses de treino e dedicação. Uma desistência forçada à saída para o segmento da corrida causada por um problema com a prótese.

sábado, 03 setembro 2016 20:01

[52.2016] PARA-TRIATLO

2016 é ano de Olimpíadas, em agosto tivemos os Jogos Olímpicos e de 7 a 18 de setembro decorrerão os Jogos Paralimpícos.
Não fui ao Rio, não fotografei os JO, mas neste ano tive oportunidade de fotografar, pela primeira vez, para-triatlo e para-remo. As fotografias foram publicadas nas respetivas páginas dos eventos e armazenadas no meu disco rígido. Este fim de semana decidi catalogar e preparar o novo ano fotográfico. Tenho dois trabalhos para finalizar, findos os quais planeio reabraçar o que gosto de fazer; Editar, brincar com a luz e as imagens, fotografar sem compromisso e sem obrigação. Gosto demasiado de fotografar livremente para tornar a paixão em profissão, seguir guiões e ter de agradar aos outros em primeiro lugar e não a mim.

Como fotografar desporto é das atividades que mais me agrada, dedico o mês de setembro a duas modalidades desportivas que estarão presentes nos JP - Rio/2016.

Para começar escolhi um paratriatleta português, Pedro Basílio, no Campeonato Europeu de Paratriatlo em Lisboa, maio/2016.

quarta, 31 agosto 2016 19:46

[51.2016] HORSEBALL WORLD CUP

Este ano o verão tem sido muito bom, com excelentes dias de praia e calor. O espaço para navegar na net e ver fotografias é mínimo. Vou fazendo algumas imagens e armazenando-as no disco, para os dias frios que se aproximam.
As próximas noites e o fim de semana serão dedicadas ao trabalho. Hoje pauso com um dos ramos da fotografia que, atualmente, mais me atraem. A fotografia de desporto.

Há duas semanas a vila de Ponte de Lima foi palco dum evento internacional, a Taça do Mundo de Horseball, que trouxe atletas e aficionados dos cinco continentes. Tive oportunidade de fotografar alguns jogos no ultimo dia da competição e ver a equipa de Elite Masculina Portuguesa dar a volta ao resultado e conseguir um merecido Bronze.

A reportagem completa aqui:

terça, 16 agosto 2016 07:37

[50.2016]

Após 2 meses e 10 dias, faço uma pausa na minha ausência forçada, pelo verão e pelo trabalho, para publicar a fotografia 50 de 2016.
Tenho saudades de fotografia desobrigada de contratos. Quero recuar no tempo e regressar a esses dias.

domingo, 05 junho 2016 20:03

DIA 0

Apesar do assunto ter sido comentado quase desde o início do ano, a minha participação, como fotógrafo, no Campeonato Europeu de Triatlo de 2016 na bela cidade de Lisboa, só foi efetivada nas semanas que antecederam o evento. E o dia de ida foi marcado no próprio dia, o "dia 0". Não nomeio ninguém, para não incorrer em falhas, agradeço a todos os que tornaram possível a minha presença e participação.
Para mim, além de diversão e trabalho, era um desafio e uma responsabilidade.
Fiz trabalho prévio de investigação. Desde ver imagens de desporto feitas por profissionais, estudar composições, tirar ideias, analizar percursos... consciente que, na hora, a pressão é grande e acabamos por cair em imagens de rotina para minimizar erros. Por vezes, não arriscamos e perdemos à mesma o momento. As fotografias seriam publicadas diretamente do cartão, fazer o melhor possível no imediato foi a minha regra. Não havia tempo para recortes, endireitar horizontes, contrastes e afins.
Sei que estou longe de profissional e continuo a afirmar que o que gosto mesmo é de fotografar sem compromissos. Assumo o meu amadorismo e, talvez por isso, a atitute de alguns, ditos, profissionais me tenha admirado. Mas não nego desilusão quando soube o meu papel, fotógrafo de facebook. Compreendo, amador é amador. Vale mais um profissional que não conhece o desporto do que um amador (desabafo).
Apesar do desabafo, faço questão de frisar:

Gostei muito!

Fiz imensas imagens, muito lixo à mistura. Com calma vou brincar com as melhores fotos e irei partilhando a minha visão do que foi o Médis European Championship Triathlon, Lisbon 2016.
Não descreverei as fotografias, terão de se defender sozinhas. No "dia 0" demos uma pequena volta de reconhecimento, à noite. As primeiras imagens feitas com o pensamento no Europeu de Triatlo.

segunda, 23 maio 2016 20:35

EM TESTES

Não tenho feito muitas longas exposições, mais por falta de tempo do que de paciência. Quando as faço, procuro locais perto de casa, a maioria no mar ou ao longo do percurso do rio Âncora. Há locais que visito com frequencia, outros passam ao esquecimento, não por serem menos bons, o volume de imagens é tão grande que fazemos uma seleção automática, nem sempre de qualidade.
Há alguns anos estive num sítio a brincar com os filtros da Lee. Na semana passada, vi uma imagem na internet que me fez ir rebuscar a fotografia. Encontrá-la foi mais fácil que voltar, percorri o rio e não voltei. Decidida a fazer uma longa exposição, parei num qualquer recanto. Tive tempo para uns testes, antes de caírem os primeiros pingos de chuva, dos quais aproveito as duas imagens que se seguem.
Uma com o filtro Big Stopper e 110 segundos de exposição. A outra com um filtro densidade neutra 0,9 e menos de 1 segundo, tempo suficiente para se notar o movimento da água corrente.
Eu gosto de ambas, duas fotografias igualmente diferentes.

Pág. 6 de 35